Volta “Rádio Alcatifa“?

Acredito que numa ameaça há sempre uma oportunidade.

Esta pandemia  tem trazido alguns aspetos positivos nomeadamente uma oportunidade para um olhar mais atento (apesar de nem sempre traduzido em ação…) para a importância da comunicação nas organizações.

A comunicação é fundamental no alinhamento de valores, no empenho dos colaboradores na performance  individual e consequentemente nos resultados coletivos.

Existem várias dimensões na análise da comunicação, sendo que o tema da “rádio alcatifa “ nos remete à comunicação entre os colaboradores ou grupos de colaboradores . Dizem os estudos que do ponto de vista da credibilidade da informação, confiamos fundamentalmente nos nossos pares, o que torna este fenómeno bastante relevante na perspetiva da análise da comunicação organizacional.

A comunicação entre pares, é muito  relevante para a passagem de informação dentro da organização, para a motivação individual, para o sentido de pertença, para a criação de laços de interajuda. Estas constelações socais formam-se  nas organizações e até há algum tempo eram visíveis nos encontros, nas reuniões informais, nos eventos, nos almoços, nos corredores, no cantinho dos fumadores.

A “rádio alcatifa” é um fenómeno social bastante  poderoso e revelador muitas vezes dos aspetos mais preocupantes da comunicação organizacional. Tensões, dúvidas, conflitos, rumores, medos, que se não forem geridos criam informações falsas, descrédito, desmotivação.

A  rádio alcatifa faz falta ?..

Com grande parte das organizações em teletrabalho há menos diálogo entre pares, menos comunicação entre os colaboradores com tudo o que pode ser percebido de positivo, como a eventual redução de rumores e boatos ou de alguma tensão entre equipas, a verdade é que a não existência de um espaço físico fez diminuir os momentos de convívio e  de discussão entre as pessoas e veio isolá-las mais da organização.

Como consequência em muitas empresas sente-se uma pressão dos colaboradores em teletrabalho para  voltar ao escritório, porque se sentem excluídos da informação, porque sentem necessidade da partilha com os seus pares.

É importante continuar a aproximar as pessoas a manter a transparência, a regularidade e a assertividade da comunicação e sobretudo ouvir atentamente a organização, sentir as pessoas, entender as suas perceções e emoções.

É importante manter esta escuta para se poder dar as respostas e esclarecer as questões. A necessidade está lá e as pessoas continuam a comunicar entre si, nos chats em grupos específicos. Mas a grande questão é : estamos a ouvi-las ?

Volta “Rádio Alcatifa”?

Por Vera Norte, Founder & Managing Partner Comunicatorium PWN mentor

Clique aqui para ver a Entrevista.