Não comunicamos se não formos capazes de OUVIR

Cada vez mais a comunicação está na agenda das organizações, nas nossas conversas do dia a dia, na agenda politica e social.

Discutimos a má comunicação das organizações e não temos duvida do impacto que tem na gestão das pessoas, na reputação das marcas e das instituições, ou até no controle de uma pandemia.

A má ou a não gestão da comunicação, pode provocar reações negativas, confusão, incerteza, rumores,  e até reações completamente contrárias ao pretendido.

Por vezes diz-se há  “falta comunicação nas organizações” outras vezes,“ há comunicação  a mais “.

Não há duvida que a comunicação está na ordem do dia e cada vez mais nos apercebemos da sua importância mas há alguns aspetos que na minha opinião não estão claros :

– Aumentar o  números de canais de comunicação disponíveis numa organização  não significa que se vá  ter melhor comunicação. Muitas vezes assiste-se ao efeito contrário, isto é quanto mais canais de comunicação se disponibilizam mais ruido se cria e maior é o cansaço na  sua utilização

– Comunicação e Informação não são a mesma coisa ! e requerem a utilização de canais diferentes. Uma newsletter, um site são canais de informação. Se o objetivo é informar então sim, é preciso aumentar as oportunidades dessa informação ser vista/lida. Se queremos comunicar temos de criar a possibilidade de “ouvir “os nossos interlocutores.

– A maior parte das vezes que nas organizações os colaboradores se queixam de pouca comunicação não significa necessariamente que queiram mais informação, podem querer apenas ser ouvidos.

– Antes de tudo, o mais  importante é  estabelecer qual o propósito para cada ação, seja ela de comunicação ou de pura informação.

-Perceber que informação e comunicação não são a mesma coisa é perceber que no processo de comunicação é fundamental “ ouvir” e analisar. Sem ouvir e perceber o impacto da nossa comunicação não se  pode determinar se esta cumpriu o seu propósito, ou mais simplesmente se foi sequer percebida.

– O feedback e a escuta são fundamentais para a adaptação e ajuste das mensagens e dos canais de comunicação utilizados de forma a que se cumpra o propósito da comunicação.

Precisamos de menos gente a falar e mais gente a ouvir para que os processos de comunicação se concretizem e sejam eficazes.

Por Vera Norte, Founder & Managing Partner Comunicatorium PWN mentor

Clique aqui para ver a Entrevista.